Cuide do seu Pão

Devido à lenta e cuidada fermentação das nossa massas e ao seu alto teor em fibra, os nossos pães aguentam-se frescos durante mais tempo do que os seus “parentes” mais “industrializados”. No entanto, qualquer pão 100% natural enfrenta a cientificamente chamada “retrogradação do amido”, que vai enrijecendo o pão até este se tornar ressesso.

Existem, contudo, várias maneiras de contornar esta situação:

  • Congelar o pão, por exemplo já cortado em fatias individuais, interrompe a “retrogradação do amido”, impedindo que fique ressesso. Quando necessário basta tirar quantas fatias quiser do congelador e torrar ou esperar que descongele para degustar o pão como fresco;
  • Fazer torradas, tostas mistas, sandes ou qualquer técnica que aqueça o pão acima de 60ºC, vai inverter a “retrogradação”, tornando o pão tenro e fresco novamente.
  • Cozinhar o pão, elaborando desde migas a açordas e ensopados, é também uma deliciosa e tradicional maneira de comer pão com vários dias.

Por último, caso queira deixar o seu pão à temperatura ambiente, poderá optar por guarda-lo na tradicional caixa do pão, que retarda a perda de humidade permitindo ao mesmo tempo que o pão respire. Caso não tenha uma, pode simplesmente colocar o pão sobre uma tábua com a face do miolo para baixo e um pano por cima.


A blog about Wordpress design, development , Software and inspiration Largest Online Shopping and Fashion Network

Informação

Caros clientes,

Queremos avisar-vos que vamos encerrar para férias entre os dias 6 e 21 de Agosto, para descanso da equipa e manutenção da padaria.

Lamentamos privar-vos do nosso pão durante tanto tempo, mas acreditem que é por duas boas causas.

Voltamos no dia 22 de Agosto com muito pão fresco!

Desejamos óptimas férias para todos!

Cumprimentos,

Diogo Amorim


Information

Dear customer,

Gleba is closing for holydays from the 6th to the 21st of August.

Sorry for being away so long.

We’ll be back on the 22nd of August with lots of freshly baked bread.

We wish you all a very good holiday!

Regards,

Diogo Amorim